domingo, 3 de agosto de 2014

Com 35,8%, Roberto Rocha lidera na corrida pelo Senado Federal

O vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), lidera a pesquisa de intenção de voto realizada pelo Instituto Data M, entre os dias 18 e 23 de junho, com 1.499 eleitores em todo o Maranhão.



Roberto Rocha aparece com 35,8% das intenções de votos, seguido do ex-ministro Gastão Vieira (PMDB), com 19,2%. Haroldo Saboia (PSOL) tem 10% e a professora Claudiceia Durans (PSTU) 1,9%.
Os dados serão divulgados nesta quinta-feira pelo jornal Atos e Fatos, e se encontram registrados junto ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, sob os protocolos MA-0015/2014 e BR-00183/2014. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos.
Confira os números no gráfico abaixo:
pesquisa
Fonte: Blog Marrapá

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Montado esquema de segurança para segundo turno em São Luís

Esquema foi pensado mesmo sem resposta do TSE sobre tropas federais.
Segurança vai contar com homens das polícias civil, militar e federal.

Quartel do Exército(24 BC)
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ainda não se manifestou sobre o pedido de envio de tropas federais para o segundo turno da eleição em São Luís. O pedido foi feito ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão pelos dois candidatos à Prefeitura e reforçado pelo governo do Estado.




Mesmo sem a resposta, nesta quarta-feira (24), foi divulgado o esquema de segurança para a eleição. Todo o efetivo da Polícia Militar vai estar nas ruas domingo (28). Próximo aos locais de votação, o patrulhamento vai ser feito também a pé. Os policiais civis vão atuar nas ocorrências. Além dos plantões de polícia, mais nove delegacias vão funcionar em regime de plantão. O 24º Batalhão de Caçadores também vai dar suporte ao trabalho da polícia e a Polícia Federal vai contar com o reforço de agentes de Imperatriz e Caxias.

No primeiro turno, 500 homens do exército fizeram a segurança em 27 municípios do Maranhão. O TSE tem até 24 horas antes das eleições para apreciar o pedido de envio de tropas federais para São Luís neste domingo.
Fonte: G1

Quatro pessoas são autuadas em Balsas por crimes eleitorais


Três pessoas foram autuadas por estarem transportando eleitores.
Mulher foi autuada por suspeita de compra de votos.

Ônibus fretado estava fazendo transporte ilegal de
eleitores.
Três pessoas foram autuadas pela polícia, no município de Balsas, transportando eleitores um dia antes da eleição para vereador e prefeito em todo o país. A informação foi divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão.


Os suspeitos fretaram um ônibus na cidade de Goiânia, que faria o transporte de eleitores de São Raimundo das Mangabeiras, noMaranhão. Para burlar a fiscalização, eles se deslocaram até o munícipio de Balsas.

Barreiras montadas pela Policia Rodoviária Federal próximas à entrada do município conseguiram impedir a entrada do veículo. Estão sendo fiscalizados todos os ônibus de turismo, para que seja verificado se está ocorrendo o transporte irregular de eleitores. De acordo com o Artigo 5º., inc. II da Lei nº. 6.091/1974 da Lei Eleitoral o transporte de eleitor é considerado crime.
Polícia encontrou a suspeita com a quantia de
R$ 3.450,00 reais.

Pela manhã, a polícia prendeu uma mulher que estaria comprando votos em uma escola de propriedade de uma vereadora, candidata à reeleição em Balsas.

No momento da prisão, a polícia encontrou a suspeita com a quantia de R$ 3.450,00 reais.

Ela elegou que o dinheiro seria utilizado para o pagamento de pessoas que trabalharam durante a campanha para a candidata.

A promotora eleitoral que determinou a sua autuação em flagrante pela prática do crime previsto no Artigo 299 do Código Eleitoral.
Fonte: G1

sábado, 28 de julho de 2012

Márcio Noal: PRÉDICA REMISSIVA

Márcio Noal: PRÉDICA REMISSIVA: Em entrevista ao programa Roda Viva, exibido em outubro de 2003, da TV Cultura, o polêmico, e genial, diga-se de passagem, escritor José Sa...

quarta-feira, 25 de julho de 2012

TRE-MA define emissoras que vão gerar propaganda no rádio e TV

TV Difusora e Rádio Capital AM vão gerar a propaganda em São Luís.
Propaganda eleitoral gratuita terá início no dia 21 de agosto.


O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) definiu nesta segunda-feira (23), as emissoras geradoras da propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão e elaboração do plano de mídia para as Eleições 2012, na capital maranhense. A definição foi feita por meio de sorteio. A geradora do programa de TV em São Luís será a TV Difusora. O programa de rádio será gerado pela Rádio Capital AM.

A propaganda gratuita no rádio e na TV começa no dia 21 de agosto e vai até o dia 4 de outubro, de segunda a sábado. A propaganda para os candidatos a prefeito e vice será veiculada às segundas, quartas e sextas-feiras. A propaganda dos candidatos a vereador será veiculada às terças, quintas e sábados.

O candidato da coligação 'Juntos por São Luís", Washington Luís abre a propaganda dos candidatos a prefeito no dia 22 de agosto (quarta-feira), depois seguem os candidatos Haroldo Sabóia (Coligação São Luís o caminho é a Esquerda), João Castelo (Coligação Para fazer muito mais), Marcos Silva (PSTU), Eliziane Gama (PPS), Edivaldo Holanda Júnior (Coligação Muda São Luís), Edinaldo Neves (PRTB) e Tadeu Palácio (Coligação Construíndo uma nova história).
Fonte: G1

818 candidaturas a prefeito e vereador impugnadas no Maranhão


O número de candidatos a prefeito, vice e vereador às Eleições 2012 que tiveram candidatura impugnada no Maranhão é de 818. No entanto, em 76 localidades, de um total de 217 municípios que formam o estado, não houve uma impugnação sequer, segundo informações da seção de dados partidários do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.
Arame, Bacuri, Balsas, Bela Vista do Maranhão, Belágua, Cajari, Campestre do Maranhão, Cantanhede, Codó, Fernando Falcão, Graça Aranha, Humberto de Campos, Imperatriz, Matões, Mirinzal, Paraibano, São José de Ribamar (dentre outros) são exemplos de municípios onde nenhum candidato teve sua candidatura contestada pelas coligações ou pelo Ministério Público Eleitoral.
“É um ótimo dado este de que em mais de 30% do estado não houve impugnações. Isto significa que o princípio da moralidade e do fortalecimento da Democracia está começando a ser respeitado. A iniciativa popular da ficha limpa tem contribuído muito”, disse a presidente do TRE, desembargadora Anildes Cruz, ao tomar conhecimento do balanço das impugnações.
A maior quantidade de impugnações foi registrada em Paço do Lumiar (55), Zé Doca (48), João Lisboa (42), Senador La Roque (37), Buritirana (31), Araguanã (25), Candido Mendes (24) e Governador Newton Bello (23).
Já em Afonso Cunha, Barra do Corda, Benedito Leite, Bernardo do Mearim, Boa Vista do Gurupi, Buriticupu, Cachoeira Grande, Cajapió, Carolina, Cedral, Chapadinha, Cidelândia, Coelho Neto, Coroatá, Governador Archer, Igarapé Grande, Itaipava do Grajaú, Lago da Pedra, Lago dos Rodrigues, Loreto, Mata Roma, Milagres do Maranhão, Mirador, Miranda do Norte, Morros, Presidente Dutra, Santa Luzia, Santa Rita, São Domingos do Azeitão, Satubinha e Tutóia, apenas 1 candidato foi impugnado em cada uma destas cidades.
Fonte: JP

Museu do Sertão, em Balsas, tem se tornado alvo de vândalos

Espaço guarda mais de 400 peças que contam a história da cidade.
Pouco movimento vem transformado o museu em alvo de depredações.


Museu do Sertão em Balsas

Criado há mais de 20 anos, o Museu do Sertão, em Balsas, no sul do Maranhão, está sendo alvo de vândalos. São mais de 400 peças que ajudam a contar a história de 93 anos da cidade, todas doadas pelos próprios moradores.

Entre a coleção exposta se encontra um modelo da primeira televisão fabricada no Brasil, em 1967, uma máquina utilizada para produzir hóstias na década de 50 pela diocese do município e diversos objetos. Uma oportunidade única de viajar ao passado, nos dias atuais.

Durante boa parte do tempo o espaço fica vazio, uma riqueza cultural ainda pouco explorada pelos moradores. "A visitação está em praticamente zero", conta a responsável pelo espaço, Célia Gouveia. O museu fica no centro de Balsas, na praça Getúlio Vargas, a mais antiga da cidade. Apesar de existir há mais de 20 anos, ele ainda é pouco conhecido. Dona Ana Nunes nunca havia visitado um museu em sua vida. Convidada pela equipe da TV Mirante de Balsas a dar um passeio no Museu do Sertão, ela se emocionou e lembrou de momentos da infância. "Isso tudo era do meu tempo e agora não tem mais. Eu gostava muito de fiar, fiquei muito feliz de ver tudo isso aqui", conta a senhora aposentada.

O pouco movimento, no entanto, vem transformado o local tão cheio de memórias em alvo para a ação de vândalos. Janelas quebradas, telhado danificado, pichação e restos de cartazes colados nas paredes. "Os meninos sobem no telhado, tiram as telhas e as jogam no chão, só para ver quebrar mesmo", conta Célia Gouveia.

Fonte: G1

sábado, 14 de julho de 2012

Márcio Noal: UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL PARA ILUMINAR NOSSAS MINI ...

Márcio Noal: UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL PARA ILUMINAR NOSSAS MINI ...: Tenho convicção que, ao expor minhas convicções através dos textos publicados nesse blog, incorro, sem culpa, em um círculo redundante. ...

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Mais uma vergonha nacional para o Maranhão: Trabalho escravo


Vítimas da violência no campo no Maranhão falam ao JN no Ar


Trabalho escravo
Uma região do Brasil traumatizada pela violência no campo recebeu nesta sexta-feira (25) a visita da equipe do JN no Ar. O sudoeste do Maranhão tem os mais preocupantes índices de conflitos agrários no país.

O que mais chocou foi constatar que muitos trabalhadores são explorados como se fossem realmente escravos. Estamos no século XXI, e a abolição foi no século XIX. O trabalho escravo se insere em um contexto mais amplo de violência no campo, em que muitos trabalhadores vivem ameaçados de morte e amedrontados.

A primeira parada do JN no Ar foi em Imperatriz, no sul do Maranhão. De manhã cedo a equipe partiu para uma das regiões mais afetadas pela violência no campo.

Em Buriticupu, no começo de abril, o sindicalista Raimundo Alves Borges foi executado a tiros por pistoleiros. Raimundo havia denunciado a ação de grileiros de terras. Seis suspeitos de envolvimento no crime estão presos. Um deles confessou que o bando receberia R$ 5 mil pela morte de Raimundo. A viúva dele, Raimunda dos Santos, teme, agora, pela vida dos filhos:

"Eles levaram meu marido e eu não quero que eles levem meus filhos.”

Segundo a comissão Pastoral da Terra, o Maranhão é hoje o estado com o maior índice de violência no campo. São 286 áreas de conflito pela posse da terra, sete pessoas foram assassinadas em 2011 e três em 2012; 106 estão ameaçadas de morte. A Pastoral afirma que nenhuma tem proteção policial.

Flávio Pereira, coordenador do Comitê de Políticas Públicas, ONG que luta contra crimes ambientais, é um dos marcados para morrer.

"A gente meio que não consegue dormir tranquilo. A gente não consegue ficar tranquilo na cidade, porque a sensação que temos é mesmo de impunidade", desabafa.

"Fazendeiros são mandatários do poder político local. É uma relação muito próxima com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, o que dificulta muito a apuração desses crimes", afirma Diogo Cabral, advogado da CPT.

A violência no campo é agravada por outro problema. Açailândia é um foco de aliciamento de mão-de-obra para o trabalho escravo.

Na maioria das vezes, a fiscalização encontra os trabalhadores em fazendas de gado, áreas de desmatamento e carvoarias clandestinas. Os trabalhadores são submetidos a jornadas exaustivas. Ficam presos a dívidas com os patrões porque são obrigados a comprar alimentos e remédios nas próprias fazendas. Muitos nem recebem o pagamento e são ameaçados por vigilantes armados. Ou seja, são trabalhadores vivendo, praticamente, em regime de escravidão.

Um rapaz, que pede para não ser identificado com medo de represálias, conta a história de um parente, assassinado há quatro anos, quando foi pedir ao fazendeiro para receber um pagamento atrasado:

"Uma das maiores dificuldades que ele tinha era questão na hora de receber, entendeu? Que foi o momento que ele foi falar com o fazendeiro para pegar o dinheiro pelo serviço e aí foram assassinados, tanto ele como o seu colega de trabalho".

O ex-trabalhador rural Bento da Silva conhece a realidade do trabalho escravo desde muito jovem. Caiu na conversa de um aliciador.

"Quando nós chegávamos lá, minha irmã, era outra coisa. Nós caíamos no escravo. Trabalhávamos 60, 90 dias", conta.

Ele conseguiu escapar, mas, por necessidade, voltou a trabalhar nessas condições até ser resgatado pela fiscalização do Ministério do Trabalho, quatro anos atrás.

No Maranhão, de 1995 até hoje, a fiscalização conseguiu libertar quase três mil trabalhadores, mas é difícil punir os responsáveis por esse crime.

"Não é fácil entrar com ação na Justiça, o trabalhador muitas vezes tem medo", diz Nonnato Masson, advogado do Centro de Defesa da Vida.

Apesar das dificuldades, os trabalhadores resgatados conseguem encontrar caminhos para refazer a vida. O Centro de Defesa de Açailândia formou uma cooperativa para dar a eles a possibilidade de um trabalho digno.
A ex-trabalhadora rural Elenilde Fernandes foi vítima do trabalho escravo. Acumulou dívidas com o patrão.

"Quando a gente ia acertar no fim do mês, não tinha como, já estava devendo", lembra.

Hoje, ela é marceneira, em uma cooperativa que fabrica móveis e brinquedos. "Eu acredito que vá melhorar ainda mais", sonha. “Hoje eu me acho no céu.”

O governo do Maranhão disse pela assessoria que repudia o trabalho escravo e que tem feito ações para combater essa prática. Disse também que criou há três anos uma delegacia agrária especializada para investigar crimes no campo, e que desde então os casos de violência têm sido investigados. Por fim, disse que desde o ano passado não recebeu nenhum pedido para proteção de trabalhadores e lideranças rurais ameaçadas de morte.
Fonte: G1

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Balsas realiza feira de oportunidades e novas tecnologias


Novidades do Agrobalsas são voltadas para a produção sustentável.
Agricultores tentam conquistar um certificado internacional.


Agrobalsas 2012
Em Balsas está sendo realizada uma feira de oportunidades e novas tecnologias, para o plantio da soja. As novidades são voltadas principalmente para a produção sustentável dos alimentos.

Uma vitrine tecnológica exibe experiências bem sucedidas da chamada agricultura inteligente no cerrado maranhense. Um modelo que emprega a integração da lavoura-pecuária com florestas, o plantio direto e o uso da biotecnologia na produção sustentável de alimentos.

Na rotação de culturas, por exemplo, o algodão e o girassol aproveitam os nutrientes que ficaram no solo - após a colheita da soja. O capim alimenta o gado de leite e a criação de caprinos - na mesma área em que foi colhida a safra de milho - tudo isso sem deixar a terra descoberta por muito tempo nem aumentar o desmatamento no cerrado.

Sistemas que aumentam a vida útil da terra e reduzem as emissões de gases que provocam o aquecimento global. Os agricultores tentam conquistar um certificado internacional que ateste a origem social e ambientalmente correta da soja no cerrado maranhense. prá isso investem em biotecnologia pra atender a uma exigência, principalmente do mercado europeu.
Fonte: G1

Facebook

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hostgator Discount Code